sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

ÀS VEZES É NECESSÁRIO...

Queridos amigos... como tudo na vida é passageiro, até mesmo cobradores e motoristas (eca, q péssima tirada... rs), é com muita tristeza que informo a vocês que o DONA CRIS vai passar fechado por uns tempos. É, as vezes é preciso calar... é preciso refletir... arrumar os armários, pôr os móveis e a cabeça no lugar. Ando me sentindo só, ainda quando no meio de muita gente, tô sentindo que é chegada a hora de me ausentar um pokinho de net, de amizades e rolos que nao passam de virtuais, de conflitos que só me fazem sofrer e questionar os porquês de tudo... é chegada a hora decisiva de correr definitivamente atrás da minha felicidade profissional, da minha maturidade e independência financeira, de me valorizar... 2008 foi um ano razoavelmente bom, estou feliz em alguns aspectos (saude - familia - amigos) e arrasada em outros... Todos que me conhecem sabem da minha carência afetiva, alguns me criticam, outros acham que ter um sorriso no rosto é sinal de plena satisfação. Mas digo, são apenas dias passando... continuo não sendo compreendida e continuo buscando um "complemento" pro vazio da minha alma... alguem que amenize o eco de vazio do meu coração. Pois é, coração vazio me deixa triste, ansiosa, questionadora... sinto falta de um "eu te amo" dito sinceramente, ja faz tempo que isso não acontece e começo a desconfiar que é esse meu destino: tentativas frustradas, esperanças infundadas. Dos que passaram pela minha vida esse ano, esperei o mínimo de afeto, de vontade de estar junto, de coragem pra se entregar por inteiro... como cachorrinho sem dono, implorando por um pokinho de atenção, por um pokinho de amor. Em vão. Todos estão apressados demais, egoístas demais, amargos demais, medrosos demais. Me sinto um mendigo implorando por um prato de comida... pra alguns, pode parecer exagero, mas é o que estou sentindo. Por isso resolvi sumir, nao escrever por uns tempos, apaziguar essa angustia momentânea, respirar novos ares, conhecer pessoas, meter a cara nos estudos, para de esperar todo dia por uma palavra de afeto, um telefonema q nunca vem... não adianta mais me agarrar a falsas esperanças... na verdade, estou tentando ME AMAR mais do que ja me amo e passar a não dar mais tanto valor àqueles q não me consideram importante, ou que não sabem demonstrar o quanto consideram. Ja me disseram uma vez (sim, já tentei terapia um dia...) que procuro demais, preciso aprender a permitir que me procurem mais... e penso nisso hoje. Psicólogos as vezes acertam... rs... decidi q preciso passar mais tempo comigo. Espero voltar renovada e mais feliz... e espero encontrá-los bem. Na próxima semana viajo pra Floripa, retorno no inicio de fevereiro, com todo o gás para o início do curso preparatório: todo gás!!! Junto com os estudos, começo a malhar, talvez dançar... a saude ja foi problema, então vamos mantê-la!!! E qto ao coração... não quero pensar nisso agora... rs

Fiquem todos com DEUS, esse silêncio logo passa... às vezes é necessário.

Sempre chega a hora da solidão
Sempre chega a hora de arrumar o armário
Sempre chega a hora do poeta a plêiade
Sempre chega a hora em que o camelo tem sede

O tempo passa e engraxa a gastura do sapato
Na pressa a gente não nota que a lua muda de formato
Pessoas passam por mim pra pegar o metrô
Confundo a vida ser um longa metragem
O diretor segue o seu destino de cortar as cenas
E o velho vai ficando fraco esvaziando os frascos
E já não vai ao cinema

Tudo passa e eu ainda ando pensando em você
Tudo passa e eu ainda ando pensando em você

Penso quando você partiu assim sem olhar pra trás
Como um navio que vai ao longe e já nem se lembra do cais
Os carros na minha frente vão indo e nunca sei pra onde
Será que é lá que você se esconde?

Tudo passa e eu ainda ando pensando em você
Tudo passa e eu ainda ando pensando em você

A idade aponta na falha dos cabelos
Outro mês aponta na folha do calendário
As senhora vão trocando o vestuário
As meninas viram a página do diário
O tempo faz tudo valer a pena
E nem o erro é desperdício
Tudo cresce e o início deixa de ser início
E vai chegando ao meio...
Aí começo a pensar que nada tem fim
Que nada tem fim...

O avesso dos ponteiros
Ana Carolina

2 comentários:

Astronauta disse...

OI querida,
Espero que esse seu sumiço programado seja bem curto e que volte renovada e pronta pra batalha rs
muitos beijoss

MVSS disse...

Oi Cris, lembra da sua infância??? rs... veja só:

"BRUNA: O Fred, do Nas Horas e Horas e Meias, me passou essa tarefa legal:

1-Agarrar o livro mais próximo;
2-Abrir na página 161;
3-Procurar 5ª frase completa;
4-Colocar a frase no blog;
5-Repassar pra 5 pessoas;

Entonces:

O livro é Duas Iguais, da Cíntia Moscovich. E a frase:

"Algo dela comigo, mas que eu não podia manter"

O mestre mandou esses 5 fazerem o mesmo:

- Mauro
- André
- Moca
- Gustavo Perez
- V.H."

Cris, agora, você passa no meu blog p/ entender, rs! ;D